O litoral do Paraná ainda nem chegou à lotação esperada para o ano novo e algumas áreas já enfrentam a falta de água. Em Matinhos, a escassez foi notada em diferentes bairros na noite de sábado (29) e na manhã deste domingo (30), quando alguns moradores perceberam a pressão das torneiras diminuiu.

Moro aqui há 30 anos e esta é a segunda vez que acontece isso. Realmente deve ter muita gente aqui na praia, e o problema é que vai chegar ainda mais”, conta a aposentada Marilda Chiquim, de 65 anos. Ela está com cinco familiares em casa para a temporada e a situação só não ficou pior porque ela tem uma caixa d’água de mil litros na casa. Mesmo assim, a reserva não deve durar muito. “Acho que, economizando um tanto, a água da caixa deve durar até o fim da noite. Depois disso, não tem mais o que fazer”, prevê Marilda, que conta que a última falta d’água que encarou foi há três anos.

No balneário Rivieira II, também em Matinhos, o corte no serviço aconteceu já no fim da tarde de sábado. “Chegamos em casa depois da praia e percebemos a água fraca. Das sete pessoas que estão aqui, uma não conseguiu tomar banho”, relata o designer Arthur de Biase, de 21 anos, que veio aproveitar a praia com os amigos. Assim que perceberam a falta de água, ele chegou a ligar para a Sanepar, que enviou um técnico à casa na manhã deste domingo.Mas, assim que o técnico chegou, a água começou a voltar para as torneiras. “Ainda bem, porque já estávamos cogitando ir embora caso não se normalizasse”, diz de Biase. Depois da experiência, o grupo está sendo mais cauteloso no consumo para garantir que a caixa de água não esvazie.

A estimativa da Sanepar é de que o número de consumidores salte no verão em Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná de cerca de 90 mil pessoas para 1 milhão até o ano novo, na próxima quarta-feira (1º). A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Operação Verão para obter uma resposta sobre a falta de água e aguarda resposta.

Para obter mais informações sobre falta d’água ou baixa pressão, basta ligar para o contato da Sanepar, no 0800 2000 115, e informar o número da matrícula do cliente.