Após o governo do Paraná anunciar no final da tarde de hoje (9 de fevereiro) que uma nova empresa assumirá a operação do ferry boat de Guaratuba, no litoral do estado, a partir da meia-noite desta quinta-feira (10), trabalhadores empregados pela atual concessionária, a BR Travessias, paralisaram o serviço das balsas já no final do dia que acabou se tornando a véspera da mudança no comando da operação. Com salários atrasados, eles querem entender como se dará a transição no comando do negócio e quem irá pagar os salários deles que estão atrasados.

Ontem um movimento parecido já havia acontecido no começo da tarde, quando o serviço ficou paralisado por mais de uma hora. A situação foi contornada após a empresa contratante afirmar que colocará os salários em dia. Com a troca no comando da operação, contudo, surgiram novas incertezas e agora os trabalhadores querem novas garantias, com a promessa de retomar o serviço com a confirmação de que o pagamento será feito.

Segundo o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR), Fernando Furiatti, a empresa Internacional Marítima, que faz a travessia entre Salvador e a Ilha de Itaparica, na Bahia, é quem assume a partir d eamanhã a balsa de Guaratuba. A mudança na operação acontece de forma emergencial por seis meses, até ser aberta uma nova licitação.

“Vai ser uma operação emergencial porque vínhamos tentando que a concessionária que está lá cumprisse tudo o que estava no edital para o qual ela foi contratada. Após não termos sucesso administrativamente, chegamos à caducidade do contrato”, explicou Furiatti. “Com isso, à 0h01 entraremos com uma nova empresa, por um período de seis meses. Ela vai fazer a operação e também os investimentos necessários para que continue sendo uma travessia segura para os usuários que passam por Guaratuba e Caiobá”.

A nova empresa já está no Litoral do Paraná para fazer a transição da operação.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.