fbpx

Sem receber diárias para atuação na Operação Verão, policiais militares do Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde – dizem que estão tendo que arcar com os próprios gastos de trabalho. De acordo com denúncia que chegou à Banda B nesta quinta-feira (14), os atrasos seriam referentes a praticamente todas as diárias da operação. A PM confirmou o atraso e informou que a situação já está sendo normalizada.

Segundo a denúncia, o valor das diárias no batalhão já são menores se comparado com outras funções da Polícia Militar, mas nem mesmo assim o pagamento está sendo feito. “Eles estão tendo que arcar do bolso com alimentação, transporte, moradia e já não sabem de onde tirar esse dinheiro mais”, comentou uma pessoa ligada a policiais e que terá a identidade preservada.

O atraso nos repasses atingiu também outros batalhões da corporação, mas em alguns casos a situação já foi resolvida. No início do mês, policiais rodoviários estaduais chegaram a denunciar uma suposta retaliação por parte do Comando após matéria ser veiculada pela Banda B.

A Operação Verão no Litoral do Paraná começou no dia 21 de dezembro e segue até o dia 10 de março, semana posterior ao Carnaval.

Outro lado

Em nota, o Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde informou que as diárias pendentes dos policiais militares citados já estão sendo regularizadas. “A unidade esclarece ainda, que o valor referente aos dias trabalhados em dezembro do ano passado foram devidamente pagos e, portanto, o atraso não é desde o início da Operação Verão. O valor que está sendo regularizado agora refere-se ao período trabalhado neste ano (1° de janeiro de 2019 até hoje). Houve um pequeno lapso de tempo entre a abertura do orçamento Estadual e os ajustes para liberação das cotas orçamentárias e financeiras. Em breve, toda a situação estará normalizada”, disse a Polícia Militar.

Sobre o valor reduzido das diárias, a PM explicou que os policiais militares ambientais que trabalham nos postos que possuem alojamento recebem o valor de R$ 72,00 (correspondente à alimentação); já os que trabalham em locais sem alojamento recebem a diária de R$ 180,00 (que corresponde à alimentação+hospedagem).