0
Postado 07/02/2017 por André Reu em Noticias
 
 

Portos do Paraná vão priorizar aumento da competitividade, atendimento e baixo custo


Após garantir um aporte de investimentos públicos e privados que totalizam cerca de R$ 4 bilhões até 2020, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) vai priorizar ações para garantir disponibilidade de atendimento, competitividade e baixo custo operacional nos próximos anos.

A informação é do diretor-presidente (Appa), Luiz Henrique Dividino. Ele participou nesta terça-feira (07) do Fórum de Discussões Hidroviárias e Portuárias, evento em que falou sobre ‘O Futuro dos Portos do Paraná’. O fórum propôs discussões sobre as perspectivas e soluções para o transporte hidroviário e portuário no Brasil.

De acordo com Dividino, entre 2011 e 2016 foram investidos nos portos do Paraná R$ 2,6 bilhões – R$ 624 milhões em investimentos públicos e outros R$ 2 bilhões em investimentos privados.

“Para os próximos anos a perspectiva é ainda melhor, serão cerca de R$ 4 bilhões e estamos trabalhando para atender cada vez mais e melhor os clientes e investidores que escolhem Paranaguá e Antonina”, declarou Dividino.

No evento também foram apresentados os projetos para melhoria da infraestrutura portuária, aquisição de equipamentos, campanhas de dragagem e ações de desenvolvimento sustentável. Dividino falou ainda sobre os gargalos logísticos e detalhou os projetos de expansão da Appa.

O Fórum reuniu especialistas para debater os principais aspectos do transporte aquaviário, como a modernização da infraestrutura, regulamentação do setor, condições dos portos brasileiros, entre outros temas.

O evento foi promovido pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), juntamente com o Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura, com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

TRANSPORTE EM EXPANSÃO – O Brasil tem 7.408 quilômetros de costa e 13 mil quilômetros de vias navegáveis.

Para Eduardo Ratton, superintendente da UFPR/ITTI, o transporte aquaviário está em plena expansão no mundo inteiro. Porém, sua viabilidade depende da constante modernização da infraestrutura, como no caso dos portos. “Por isso, a relevância de um evento como este para ampliar o entendimento sobre o setor”.

Além da Appa, o Fórum reuniu palestrantes da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antag), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do Conselho Nacional de Praticagem, da Secretaria de Portos e da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).



Comente

comentários