fbpx

Durante todo o verão, as cidades litorâneas do Paraná recebem a visita de milhares de pessoas, que aproveitam o período das férias para desfrutar das praias paranaenses. Nos finais de semana, o movimento é ainda mais extenso, reunindo um grande número de turistas em uma curta extensão territorial. Por fim de semana, são aproximadamente 83 casos, segundo dados divulgados pela Polícia Militar.

Essa movimentação é muito positiva para o comércio, que sofre nas outras estações do ano, mas pode gerar problemas entre os vizinhos. Isso por que a maioria dos veranistas naturalmente utiliza o sábado e o domingo para realizar festas que atravessam as noites, acompanhadas geralmente de som alto e bebida alcoólica, uma combinação que muitas vezes complica o diálogo entre os moradores.

Sabendo dessa situação, a Polícia Militar do Paraná deslocou até as praias paranaenses equipes da ‘Patrulha do Sossego’, operação surgida em Curitiba e região metropolitana, com o intuito de fiscalizar crimes referentes à poluição sonora. De acordo com o tenente-coronel Vianei, comandante do Centro de Operações Policiais Militares (Copom), a alta demanda fez com que a PM implantasse o sistema no litoral.

“Deslocamos essas equipes devido à alta demanda a respeito da perturbação do sossego. Isso acontece por termos uma concentração de público muito intensa nessa época do ano, com as pessoas dividindo espaços cada vez menores. Assim é inevitável que existam alguns atritos, e a Polícia Militar está presente em todas as cidades”, afirmou.

Desde o início da Operação Verão, no dia 21 dezembro, foram registrados mais de 250 Termos Circunstanciados (TC), o que representa o mesmo número de pessoas conduzidas e aparelhos de som apreendidos. “A equipe recebe o chamado, vai ao local e faz a aferição do nível de pressão sonora. Constatando o ilícito penal, nós paramos o barulho, autuamos a pessoa responsável e encaminhamos o indivíduo à delegacia para assinar o TC, que é usado quando o crime é considerado como de menor relevância”

De acordo com o tenente-coronel, as ocorrências de perturbação do sossego são a maior demanda de chamados do 190, o número de emergência da Polícia Militar. “Cerca de 65% das demandas pelo telefone dizem respeito à perturbação do sossego e ao barulho desnecessário”, ressalta Vianei. Nos casos registrados no Litoral, o Judiciário também está reforçado, e em cerca de dois a três dias, os termos de ação penal já são julgados.

Mas é um erro pensar que a ‘Patrulha do Sossego’ trabalhará apenas com casos referentes a aparelhos de som potentes e durante o período da noite, como detalha o comandante do Copom. “O que caracteriza a perturbação do sossego não são apenas situações em que o porta-malas do veículo aberto emite música alta ou um estabelecimento comercial que explora ramo de música ao vivo. Essa regra vale também para pessoas que não fazem cessar o barulho de animais, que promovem festas e encontros até altas horas, pessoas em vias públicas que conversam alto ou promovem algazarras”, concluiu.

%d blogueiros gostam disto: