0
Postado 24/02/2017 por André Reu em Noticias
 
 

PM orienta comerciantes e cidadãos sobre o golpe das notas falsas durante o Carnaval no Litoral


O Carnaval vem aí e milhares de pessoas descem para as cidades litorâneas do Paraná para curtir as festas locais. Esta população, vinda de várias regiões do estado e do Brasil, provoca maior circulação de dinheiro e chama a atenção de golpistas que aproveitam o fluxo intenso de público para distribuir notas falsas nos comércios e, dessa maneira, prejudicar os empreendedores. Por isso, a Polícia Militar orienta ao cidadão que adote medidas preventivas para evitar esse delito.

De acordo com o Subcomandante do 9º Batalhão da PM e Coordenador Operacional do Verão Paraná 2016/2017, major César Kamakawa, é importante que a população colabore com a corporação fazendo denúncias de pessoas que sejam suspeitas de praticar este crime. “A PM está à disposição pelo telefone 190 consumidores e comerciantes locais, denunciem qualquer suspeita de distribuição de nota falsa. Durante o verão muitas pessoas mal intencionadas aproveitam a grande circulação de pessoas e cometem esse golpe, por isso é necessário ter atenção redobrada”, afirma.

As pessoas devem atentar-se principalmente quanto às notas de maior valor, pois estas geralmente são as mais falsificadas. Observar detalhes como a marca d’água, tipo de papel, cor, relevos e outros elementos podem ajudar a identificar o material falso. “Se o cidadão suspeitar da tentativa de golpe, deve imediatamente acionar a Polícia Militar para que faça a averiguação necessária”, reforça o major Kamakawa.

É importante que a comunidade denuncie casos de repasse de dinheiro falso para que o golpista seja localizado e encaminhado ao órgão competente, no caso a Polícia Civil ou a Polícia Federal.

O crime de falsificação de moeda está previsto no Código Penal, artigo 289, e a pena pode variar de três anos a 12 anos de reclusão. Para identificar se uma célula é falsa ou não, o usuário deve verificar a marca d’água contra a luz, a imagem latente no canto esquerdo da nota e o símbolo das Armas Nacionais. As orientações abrangem as notas antigas, fabricadas até 1994 (Primeira Família), e as notas atuais, produzidas a partir de 2010 (Segunda Família):

· As cédulas de R$50,00 e R$100,00 da Primeira Família (notas antigas) apresentam como marca d’água apenas a figura da República.

· As cédulas de R$5,00 e R$10,00 da Primeira Família (notas antigas) podem apresentar como marca d’água a figura da República ou a Bandeira Nacional. Já as notas de R$50,00 e R$100,00 (notas novas) da Segunda Família possuem a marca d’água da onça pintada e do peixe garoupa, respectivamente;

· A cédula de R$2,00 da Primeira Família apresenta como marca d’água apenas a figura da tartaruga marinha com o número 2;

· A cédula de R$20,00 da Primeira Família apresenta como marca d’água apenas a figura do mico-leão-dourado com o número 20;

Ao movimentar a nota, na faixa à esquerda da frente da cédula, observa-se os seguintes efeitos:

Na nota de R$50 da Segunda Família (notas novas), o número 50 e a palavra REAIS se alternam, a figura da onça fica colorida, e na folha aparecem diversas cores em movimento. Já na nota de R$100 da Segunda Família (notas novas), o número 100 e a palavra REAIS se alternam, a figura da garoupa fica colorida, e no coral aparecem diversas cores em movimento.

Pelo tato, você sente o relevo em algumas áreas da nota da Segunda Família (notas novas). Na frente:

Na legenda “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL”;
No numeral do canto inferior esquerdo;
No numeral do canto superior direito (somente nas notas de 50 e 100 reais);
Nas extremidades laterais da nota.

No verso (somente nas notas de 20, 50 e 100 reais):

Na legenda “BANCO CENTRAL DO BRASIL”;
Na figura do animal;
No numeral



Comente

comentários