0
Postado 17/12/2017 por André Reu em Noticias
 
 

O que esperar do verão 2017/2018. Veja o que diz a previsão


 verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro, às 14h28, e vai até 13h15 do dia 20 de março, pelo horário de Brasília. 

A análise da temperatura da água do mar é fundamental para fazer a previsão climática para uma estação. O oceano Pacífico Equatorial está em La Niña. Isto quer dizer que a temperatura está abaixo do normal, mas tecnicamente não podemos afirmar que o evento La Niña se configurou. Mesmo sem um La Niña estabelecido, o resfriamento do Pacífico Equatorial terá influência na chuva e na temperatura no Brasil durante o verão 2017/2018 e o efeito é a favor da chuva.

Mas, a influência deve ser maior sobre o Sudoeste e Centro-Oeste. No Sul do País, a chvua deve vir em menor quantidade, mas sem tipificar um clima seco de estiagem.

A data e a hora do início e fim das estações do ano são determinadas por cálculos dos astrônomos e não dos meteorologistas. Astronomicamente o Hemisfério Sul passa pelo solstício de verão às 14h28 do dia 21 de dezembro, enquanto o Hemisfério Norte passa pelo solstício de inverno.

Climatologicamente as características do verão começaram a ser sentidas no Brasil desde a virada de novembro para dezembro. A organização do corredor de umidade do Norte para as Regiões Centro-Oeste e Sudeste, o estabelecimento da circulação da Alta da Bolívia e a formação da ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul – fizeram com que a chuva voltasse forte e volumosa sobre estas Regiões e também sobre parte do Nordeste.

Alguns destaques para o verão 2017/2018 segundo análise do Climatempo:

– A maior parte da chuva no Sudeste e no Centro-Oeste ocorrerá principalmente na primeira metade do verão. Risco elevado para enchentes
– Excesso de calor deve ser destaque em fevereiro
– O Sul do Brasil, em média, deve ter chuva abaixo da média, mas não será completamente seco
– Região Norte terá muita chuva neste verão
– Nordeste terá muito calor e pouco chuva, mas áreas produtoras terão chuva suficiente
– Grande pressão para pragas e doenças na agricultura
– Provavelmente teremos uma temporada de muitos mosquitos



Comente

comentários