fbpx

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou uma ação de improbidade administrativa e pediu o bloqueio dos bens do presidente da Câmara Municipal de Matinhos, Gerson da Silva Júnior, por falta de controle no pagamento de diárias a vereadores e servidores da casa nos anos de 2017 e 2018.

O MP pede que sejam bloqueados R$ 400 mil do presidente da Câmara. Segundo a 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Matinhos, houve um pagamento excessivo de diárias que, apenas no ano de 2018, foram de cerca de R$ 435 mil.

De acordo com a promotora que assina o pedido, Carolina Dias Aidar de Oliveira, os vereadores de Matinhos “ignoram” uma norma da casa para que sejam feitas as prestações de contas das viagens, “embolsando integralmente o montante das diárias”.

Segundo a promotora, este é “um dos motivos que explica os gastos exorbitantes do Poder Legislativo com diárias”.

O pedido afirma que Gerson da Silva Júnior era responsável por autorizar as viagens, liberar as diárias e controlar as prestações de contas.

A ação também pede a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, ressarcimento dos danos ao erário e pagamento de multa e de danos morais coletivos.

O G1 entrou em contato com o presidente da Câmara Gerson da Silva Júnior, mas não obteve retorno.