Postado 10/12/2016 por André Reu em Noticias
 
 

Moinho Iguaçu vai triplicar sua movimentação Paranaguá



De uma ponta a outra do Estado. É ligando a produção do Oeste do Paraná ao escoamento em Paranaguá que a cerealista Moinho Iguaçu vai investir no porto e triplicar sua movimentação de cargas nos próximos anos. Os investimentos da empresa são de cerca de R$ 90 milhões.

Os investimentos privados, de acordo com o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, se devem ao ambiente favorável nos Portos do Paraná. “Foram aplicados cerca de R$ 623 milhões em obras de infraestrutura e modernização”, afirma Dividino.

Ele explica que os projetos privados incluem novos terminais e arrendamentos, renovações de contratos, rearrendamentos de áreas públicas e contratos de passagem, que é o caso da Moinho Iguaçu.

Com os aportes em armazenagem e correias transportadoras de grãos, a movimentação anual da Moinhos Iguaçu deve chegar a 1,5 milhão de toneladas. “Nosso objetivo com estes investimentos é ganhar escala, dar um novo patamar à nossa movimentação de grãos”, afirma o presidente da empresa cascavelense, Alcides Cavalca.

O plano de investimentos da Moinho Iguaçu já está em execução. O silo com capacidade para 60 mil toneladas de armazenamento estático já está de pé. Agora, o projeto de construção das correias, que já tem licença ambiental, está em andamento.

Serão 1,1 mil metros de ligação entre o armazém e o Cais Oeste do Porto de Paranaguá. “A administração do Porto está investindo na sua estrutura e dando às empresas condições de expansão em Paranaguá. Com isso em mente, estamos ampliando as nossas atividades na cidade e posicionando a Moinho Iguaçu como uma referência na movimentação de grãos”, afirma Cavalca.

Com o novo armazém em funcionamento, serão gerados cerca de 80 empregos diretos em Paranaguá. O plano é que a estrutura esteja finalizada, toda rodando, em outubro de 2017.

PLANO DE INVESTIMENTOS – O plano elaborado pela Appa para os portos do Estado prevê um cenário até 2030. Neste período, a demanda de movimentação de cargas no Paraná deverá saltar das atuais 45 milhões de toneladas para 83 milhões de toneladas.

Os R$ 90 milhões previstos pela Moinho Iguaçu integram o programa de investimentos privados de R$ 5,1 bilhões para os Portos do Paraná, no mesmo período.



Comente

comentários