Na manhã desta segunda-feira, 14, a secretaria municipal de Saúde e Prevenção (SEMSAP) recebeu alunos e professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade de Harvard, em Massachusets, no Estados Unidos. Os estudantes fazem parte do curso de verão, que é uma parceria entre as universidades, e acontece todos os anos. Em 2019 é a primeira vez que a capacitação acontece no sul do Brasil, dividido entre Curitiba e Paranaguá.

São dois grupos de alunos que estudam o sistema de saúde pública do Brasil. Um grupo é focado nos estudos das estratégias de combate à a dengue e outro nas ações de enfrentamento às violências. A SEMSAP disponibilizou profissionais para palestras e demonstrar “in loco” os trabalhos desenvolvidos no município.

A professora de Saúde Pública da Universidade de Harvard, Márcia Castro, explica que a intenção do curso é investigar as questões que ocorrem diretamente no campo. “Saúde pública não se aprende na sala de aula, é preciso ir a campo para saber o que acontece. Estamos aqui para mostrar aos alunos como funciona a rede que atende as vítimas de violência, além de ver as condições da cidade que favorece a criação e proliferação do mosquito da dengue e as ações de combate para evitar uma nova epidemia”, comenta. A professora ressalta ainda que a proposta final do curso é realizar um trabalho de retorno para melhorar as ações que beneficiam as comunidades que são visitadas. “O bacana desse curso é que abre os olhos não só para os estrangeiros, mas também para os brasileiros. É uma experiência muito boa para todos”, conta Márcia Castro.

A UFPR possui parceria com o Núcleo de Proteção à Violência da SEMSAP. O professor de saúde coletiva da UFPR, Marcos Cláudio Signorelli, afirma que os estudantes estão empolgados com o que já viram durante o curso. “O sistema de saúde pública dos Estados Unidos é bem diferente do nosso sistema aqui no Brasil. Hoje eles vão entender o funcionamento da rede intersetorial, o atendimento às vítimas e as o trabalho de prevenção. Muitas vezes nem os próprios brasileiros tem conhecimento da rede e de como funciona a saúde pública, eles ficaram empolgados com o que já viram e não está sendo diferente aqui em Paranaguá”, frisa o professor.

Para os profissionais da SEMSAP demonstrar as ações realizadas é satisfatório e mostra que o trabalho feito é de referência. “Vamos fazer uma troca de experiências e é gratificante saber que eles vêm conhecer nosso trabalho e levar para ser implantado na universidade e nas comunidades em que vivem”, fala Helenize Zanon, terapeuta ocupacional do Núcleo Municipal Intersetorial de Prevenção à Violência, Promoção da Saúde e da Cultura da Paz. 

Ao todo são 10 participantes do curso que estarão em Paranaguá, nesta segunda e terça-feira, para a parte pratica dos trabalhos realizados pela secretaria de Saúde e Prevenção do município.