Postado 16/12/2015 por André Reu em Noticias
 
 

Atendimento a acidentes com animais peçonhentos será reforçado no Litoral


Duzentos profissionais de saúde do Litoral já foram capacitados para o atendimento a vítimas de acidentes com animais peçonhentos, como águas-vivas, serpentes, escorpiões, aranhas, abelhas e lagartas, entre outros. Os cursos foram promovidos neste mês de dezembro pela Secretaria Estadual da Saúde, nos municípios de Pontal do Paraná, Matinhos, Guaratuba e Antonina.

O objetivo é preparar a retaguarda de atendimento disponível na região e garantir mais qualidade à assistência ofertada aos pacientes nos hospitais e unidades básicas de saúde. Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde e técnicos de vigilância em saúde participaram dos eventos.

De acordo com a chefe da Divisão de Zoonoses e Intoxicações da Secretaria da Saúde, Tânia Portella, esse tipo de capacitação é essencial para atualizar os profissionais acerca dos protocolos de tratamento indicados para cada caso. “Neste período de verão, a tendência é que o número de casos de acidentes aumente. Por isso, as equipes de saúde precisam estar preparadas para atender adequadamente esta demanda”, afirmou.

As temperaturas mais quentes e o grande fluxo de pessoas em locais que são os habitats naturais desses animais favorecem o crescimento no número de acidentes. No Litoral do Estado o risco é ainda maior devido à grande faixa de mata nativa.

O médico da 1ª Regional de Saúde Ramon Ceschin explica que a fauna existente na região é bastante diversificada, o que reforça a necessidade dos profissionais conhecerem as características de cada animal. “Focamos nos animais peçonhentos mais frequentes aqui no Litoral. Apresentamos os principais sinais e sintomas dos acidentes com cada espécie, indicando ao profissional a melhor forma de tratamento para o caso”, destacou.

Em acidentes com serpentes, por exemplo, o atendimento deve ser imediato. Já em acidentes com águas-vivas, mais comuns durante a temporada de verão, os cuidados são mais paliativos, com a aplicação de vinagre no local da lesão para aliviar a ardência e acompanhamento do estado clínico do paciente.

Nesta quarta-feira (16), o treinamento aconteceu em Guaratuba, com a participação de 70 pessoas. O médico veterinário Hermínio Molinari, que atua no município, ressalta que o treinamento personalizado ajuda os profissionais no desempenho de suas funções do dia a dia. “Recebemos com frequência casos de acidentes com jararacas e aranhas armadeiras. Temos ainda uma peculiaridade, que são os acidentes com animais marinhos, que acontecem durante o ano todo”, conta.

A equipe da 1ª Regional de Saúde de Paranaguá está preparada para dar suporte técnico aos municípios. Além disso, os profissionais das unidades de saúde e hospitais têm à disposição um serviço de teleconsultoria 24 horas, através do telefone 0800410148. O Centro de Controle de Envenenamento (CCE) conta com médicos e especialistas de plantão para tirar dúvidas dos profissionais quanto à conduta a ser adotada em caso de acidentes.



Comente

comentários