fbpx

Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) alertou para diversas irregularidades registradas nos ferry boats que fazem a travessia da baía de Guaratuba, no Litoral do Paraná. Nesta semana, o órgão cobrou mais uma vez a correção desses problemas por parte do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Segundo o diretor-presidente da Agepar, Omar Akel, as medidas foram requeridas em outubro do ano passado, por meio de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC). O acordo firmado ocorre no momento em que a concessionária que administra os ferry boats enviou para a agência as novas tarifas do serviço para análise.

“Nós fizemos uma vistoria no ano passado para verificar se o DER estava atuando dentro das suas atribuições e encontramos um conjunto de desconformidades. Entre elas, estão plataformas de embarque com manutenção precária, falta de sinalização e problemas de obstrução e sujeira nos passeios. Registramos ainda o excesso de veículos, o que elimina o espaço para os pedestres, que devem fazer a travessia fora dos carros”, relatou Akel em entrevista à Banda B.

Além disso, o diretor também se mostrou preocupado com o contrato de concessão dos ferry boats, que termina em abril. “Em outubro nós já tínhamos alertado o DER e pedido que nos encaminhasse quais decisões estavam tomando para a nova licitação. Depois que recebemos a solicitação do reajuste, voltamos a falar sobre o assunto. Na ocasião, o Departamento se comprometeu a agilizar ao máximo esse procedimento, para que possamos, enfim, discutir a tarifa”, completou.

De acordo com Akel, uma nova vistoria da Agepar nos ferry boats está marcada para a próxima semana, depois do Carnaval. A expectativa é de que as correções comecem a ser realizadas em breve, assim como as ações para a nova licitação.

Sobre o caso, a Banda B entrou em contato com o DER e aguarda retorno.

Travessia de Guaratuba

A travessia da baía de Guaratuba funciona 24 horas por dia. Seis embarcações são usadas no trajeto de 1,2 quilômetro: Piquiri, Guaraguaçu e Nhundiaquara, com capacidade para 48 veículos e 100 pessoas cada uma; Balsa Sônica III/Guaratuba I, transporta até 76 veículos e 150 pessoas; Balsa Rainha de Guaratuba/F.Andreys VII, com capacidade para 84 veículos e 200 pessoas e Balsa Rainha da Ilha de São Francisco/F. Andreys V, para 65 veículos e 150 pessoas.